sábado, 10 de setembro de 2011

Sem fortes emoções não tem graça... :/

Hoje passei por uma que não desejo a ninguém que é mãe ou pai. Foi no Méier, bairro daqui do Rio pertinho da minha casa. Estávamos fazendo umas compras e no sábado tem muitos ambulantes na rua, vendendo de tudo. Avistei umas bolsas de pano artesanais, lindas e parei para ver. Meu marido seguiu um pouco com o carrinho do Felipinho, junto com o Pedro #aos8 e o Dani #aos10. Segui, me juntei a eles e disse que iria comprar uma que gostei. O Dan pegou o dinheiro, me deu e ficou junto a uma loja de sapatos que tem ao lado da C&A (para quem conhece se orientar mais ou menos sobre onde estávamos). Estava muito cheia a rua, que é comercial e principal do bairro. Fui comprar a bolsa e voltei, dizendo que estava na dúvida se levava outra, etc... Nisso (eu tenho isso quase que automático), eu olho para os meninos e conto: Dani, Felipe... Espera aí...

CADÊ O PEDRO???


Olhei para todos os lados da rua e nada de vê-lo. Não sabia se tinha seguido em frente, sem ver que tínhamos parado, se voltou por algum motivo, se foi atrás de mim e se perdeu, se atravessou a rua sozinho... Mas não, seguir em frente ele não seguiu, ele parou junto com todos. O pai foi no sentido oposto ao nosso, para ver se ele tinha voltado. E nada...

Em desespero (e também como estratégia), comecei a gritar o nome dele o mais alto que poderia (e olha que minha voz é bem potente), obviamente chamando a atenção de todos em volta. Gritei várias vezes: "Pedro, Pedro, Pedroooooooooooooo!!!". Enquanto isso, tinha que ficar de olho no Felipinho e no Dani, que, nervoso, queria também sair pela rua para procurar o irmão. Nem pensei em entrar na C&A, no shopping ou em alguma loja para nos abrigarmos, pois ele poderia passar ou mesmo me ouvir gritando e voltar. Além disso (surpreendentemente, apesar de colocar a boca no mundo, num piti fenomenal e aos prantos, consegui raciocinar friamente, em contraponto), pensei: se alguém estiver tentando levá-lo, vai se intimidar com a mãe fazendo escândalo, ou ele mesmo vai se desvencilhar e vir ao meu encontro, ou pedir ajuda. Sempre os "treino" para essas situações, embora nenhuma mãe deseje nunca que ela ocorra para testar. Os ambulantes, sempre muito solidários, já estavam se mobilizando para procurar o menino, gente se aglomerava à nossa volta...

Foi quando o Pedro sai da C&A com cara de paisagem, sem saber de nada que estava acontecendo do lado de fora. Ele foi atrás de mim, para ficar comigo, não avisou ao pai (que também não viu, porque estava ajeitando o Felipe no carrinho, que dormia) e pensou que eu tivesse entrado na loja. Lá dentro deu um "rolê", viu umas roupas que gostou e saiu. Simples assim. O pai ainda quis brigar com ele (Nem posso culpá-lo pela atitude, estava desesperado meu ursão...), quando voltou e constatou que ele estava conosco. Mas não deixei, só sabia chorar, abraçar e beijá-lo como se ele fosse um bebê (quem é descendente de italianos deve imaginar minha reação, kkkkk).



Enfim... A gente acha que depois de três filhos, com dois crescidos, sabe tudo (e que eles também sabem se virar). Que nada... É um aprendizado contínuo, por mais atenciosos e presentes sejam os pais.

P.S.: Depois disso tudo eu agradeci a todos que tentaram nos ajudar (várias vezes) e, silenciosamente, pela minha proteção. Quando entrei no shopping, parece que a ficha caiu e passei mal. Tive que me sentar, tomar água, até passar... Já pensou que legal, eu baixar no Pasteur (hospital que tem aqui perto) em pleno sábado à tarde??? Aff... Rs...


Em vez disso, comemos palhas italianas que tinha na bolsa para todos, nos refizemos, terminamos as compras e voltamos para casa, felizes de estarmos juntos.

10 comentários:

Paloma Gavazza disse...

Nossa que susto! Ainda bem que tudo terminou bem! bjs!

gisele disse...

Sustão! Uma vez, no Chuí (local de fronteira e compras e freeshop aqui do sul), encontramos um menino chorando, perdido, de uns 7-8 anos. Colocamos ele em cima do ombro do meu sogro (q é bem alto)e começamos a bater palmas e gritar. E mais pessoas vieram e começaram a fazer o mesmo. Uns 6-7 minutos depois uma mulher saiu de uma das lojas, absorta em pensamentos, nem viu agente e todo movimento, por um acaso olhou pra cima e viu o filho dela. Daí caiu a ficha! É meu filho.- disse calmamente. Eu fiquei em estado de choque pela mulher!!!Ela nem te ligo!!!
Mas tem q cuidar muito, eu parei no segundo, pq assim cada um fica numa mão!hehehe!
Abraços, gisele

www.kidsindoors.blogspot.com

Cris Guimarães disse...

Caramba, Gisele, como que pode, rs??? Isso tudo que passou não durou mais que poucos minutos e já surtei e essa mãe ficou na boa ao descobrir que o filho tinha sumido... Well, as pessoas têm reações diferentes mesmo (muitas eu não compreendo, mas enfim, cada um cada um)...

Luciana Onofre disse...

Amiga querida!!!!
Já me ocorreu algo similar, de verdade parece que sugam num micro-segundo a vida de dentro...
Que alegria saber a todos bem =)

Dany disse...

Ai, Cris, que desesperoooooooo!!!
Eu teria gritado muito tb, como vc.
Isso nunca aconteceu comigo, mas deve ser um desespero terrível.
Aff...
Terminou tudo bem e isso é o que importa.

Um espaço pra chamar de meu disse...

Amiga,que sustão...#sofro...eu fiquei aqui só imaginando as ruas cheias do Méier, vc nem foi na D.Divas depois disso,rsrsrs...fiquei imaginando a carinha dele saindo da loja e pensando que maluquice tá acontecendo aí fora,quem é a loka?rsrsrsrs
Uma vez perdi Su dentro da Americanas, eu com Daniel no colo(com uns 2 meses) ela com 2 anos,e detalhe era eu,marido e sogra, ela havia se enfiado dentro de uma arara de roupa para comer pastilha Garoto, achamos por causa dos papeis jogados no chão e Daniel perdi dentro da paróquia que frenquento, era um dia de missa com todas as paróquias da Diocese (mais de 300) e havia um parque sendo montado para a festa de Sto Antônio, isso foi ano passado...qdo já estava entrando em desespero,uma amiga me mostrou ele sentado dentro da igreja em um cantinho q achou jogando o vídeo game...rsrsrsrs Como ele está sempre correndo nem pensei em procurar sentado...mãe sofre...
Ainda bem que aí ficou tudo bem e acabou em pizza,rsrsrsrs

Cris Guimarães disse...

kkkkkkkkkkkkkk, Rogéria, não fui mesmo, pior é que iria passar lá (n D.Divas), rs. Depois disso, nem lembrei.

Luciana disse...

Aiiii que susto, não gosto nem de imaginar que fico aflita, tb já perdi o Bruno no shopping em um sábado lotado...parei p/ ajudar um amiguinho dele que estava andando sem a mãe e achei que estivesse perdido, mas não estava (a mãe estava logo atrás) e acabei perdendo ele, que entrou em uma loja de fantasias, foram segundos de agonia, meu coração fica apertado só de lembrar....bjs e que bom que ficou tudo bem!

Mari Hart disse...

Ai Cris, que desesperooooo! "Perdi" Stella 1x na praia de Copa, final de tarde, estava vazia, foram uns 5 minutos que pareciam uma eternidade! Outro dia sonhei que meu Pedro sumiu, acordei suada, sufocada, como se estivesse me afogando e qdo acordei no meio da amdruga, fiquei c/ medo de dormir de novo. Até em sonho é cruel! Tb "treino" eles p/ essas situações, tem que ser né!? Enfim... vim te agradecer todo apoio e carinho! Muito obrigada mesmo! =))
Um super beijo!!!

Mummy Brown disse...

Cris que susto!! as vezes sonho que estou perdendo a Yasmin tb, mas no sonho eh sempre culpa do pai rs. Ainda bem que foi só um susto passageiro ne? Estou te seguindo obrigada pelo carinho la no meu bloguinho Bjinhos

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...